Explosões podem te formado lagos na Lua Titã de Saturno

Explosões podem te formado lagos na Lua Titã de Saturno

22 de outubro de 2019 0 Por Mestre Cuca




A lua de Saturno, Titã, é um mundo distante e frígido, mas também carrega semelhanças intrigantes com o próprio terreno da Terra. Lagos e mares líquidos pontilham sua paisagem, embora o metano e o etano que os enchem estejam muito longe da água terrestre. Agora, uma nova teoria sugere que alguns desses corpos de líquidos podem ter literalmente explodido em existência. Nesse caso, Titã pode compartilhar outra semelhança com a Terra: as mudanças climáticas.

Em um estudo publicado segunda-feira na revista Nature Geoscience, os pesquisadores propõem que bolsões de nitrogênio líquido podem ter explodido da crosta da lua em resposta ao aquecimento das condições atmosféricas. As crateras resultantes podem então ter sido preenchidas com metano líquido.

O co-autor do estudo, Jonathan Lunine, astrônomo da Universidade Cornell em Nova York, diz que os dados da missão Cassini da NASA inspiraram a nova teoria. A sonda detectou”características estranhas e impressionantes” ao redor de alguns lagos de Titã. Os lagos estavam cercados por saliências e muralhas afiadas que não podiam ser explicadas por teorias anteriores sobre como os lagos se formaram. Mas eles poderiam ser explicados como resultados de explosões.

Os pesquisadores compararam esses lagos com formações terrestres como o Campo Vulcânico Hopi Buttes, no Arizona.

O principal autor do estudo, Giuseppe Mitri, da Universidade G. D’Annunzio, na Itália, diz que esses lagos explosivos são evidências de mudanças climáticas na maior lua de Saturno – o único satélite em nosso sistema solar com uma atmosfera significativa.

“[É] uma evidência de que Titã sofreu pelo menos um episódio de mudança climática em um período mais frio do passado”, diz ele. É provável que isso ocorra devido à mudança nos níveis de metano, um gás de efeito estufa aquecido, diz Mitri, acrescentando que a causa exata do resfriamento e aquecimento do Titan está aberta ao debate.

“A idéia de que as fossas nas quais os lagos de Titã residem são de origem explosiva é nova e intrigante”, diz Oded Aharonson, cientista planetário do Instituto Weizmann de Ciência em Israel que não participou do estudo.

E as bordas elevadas nesses lagos são um quebra-cabeça, de acordo com Ralph Lorenz, cientista planetário veterano no Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins. Ele diz que, embora algum tipo de pulverização ou espuma pareça uma explicação razoável de como eles se formaram, pode haver maneiras pelas quais eles poderiam se desenvolver progressivamente”sem invocar um cenário tão catastrófico”. Ele acrescenta que a química e o processo físico de Titan oferecem muito mais para explorar.

E enquanto a sonda Cassini foi intencionalmente lançada em Saturno em 2017, Lunine espera que muitas descobertas mais intrigantes sobre Titã venham dos dados da missão na próxima década. Os cientistas ainda estão estudando os conjuntos de dados coletados durante a missão. Outras oportunidades podem vir do Dragonfly, um robô que a NASA planeja lançar em Titan em 2026, o que também pode fornecer clareza sobre as mudanças no clima da lua.

Embora seja improvável que os humanos visitem Titã em um futuro próximo, Lunine brinca que visitar um dos lagos da cratera de explosão da Terra, como o Lago di Nemi, na Itália, pode ser a próxima melhor coisa.”Algum dia, eu poderia me sentar no topo de um desses mirantes e saborear um bom copo de vinho italiano, olhar para o lago e imaginar que não estou em Roma, mas estou em Titã”, diz ele.”Não é água lá embaixo, é metano líquido.”